quarta-feira, 6 de junho de 2012

Bruna Marquezine - Revista Kzuka


                Bruna Marquezine - Revista Kzuka (Março 2012)
Bruna Marquezine
                

       

 
Matéria que está Ilegível nessa última foto,confira logo abaixo:


Quem não se lembra da órfã Salete, que encantou o Brasil em Mulheres Apaixonadas? Naquela época, Bruna Marquezine tinha apenas 
oito anos. O tempo passou, e ela cresceu. Hoje, aos 16 anos, ela 
virou um mulherão e está no ar como a Belezinha, de Aquele Beijo, uma menina que engravidou por acidente e, após se casar sem 
amor, sofreu um aborto espontâneo. Feliz com a repercussão do 
tema, ela acredita que seu papel sirva como um alerta. Confere aí o 
papo que batemos com ela no intervalo das gravações, no Projac.
KZUKA – Na novela, a Belezinha engravidou. Foi uma gravidez precoce. Como você agiria se fosse na vida real?
Bruna Marquezine – Não sei, juro! Não consigo imaginar, porque depende de muita coisa ao redor. A Belezinha tem uma mãe complicada, que 
não a apoia. A minha vida é muito diferente da dela. Tenho uma profissão 
que realmente amo, e ela não. A Belezinha trabalhava como miss, mas 
isso era um sonho da mãe dela. Sinceramente, não sei o que faria.
KZK – A relação da Belezinha com a mãe é complicada. Para a Íntima 
(Elizângela), sexo é tabu. Como é a sua relação com a sua mãe? Em 
casa vocês conversam sobre tudo?
Bruna – A Íntima é uma mãe complicada, que sempre se projetou na filha 
e a tratou como uma boneca. Então, aceitar que ela pudesse transar era 
difícil, pois isso afetaria o sonho de ver a Belezinha sendo miss. Quando 
ela contou que tinha transado, Íntima ficou apavorada e tentou esconder. Lá em casa é diferente. Acho que é melhor você aprender em casa, 
com pessoas que te amam e querem o seu melhor, que vão te passar 
uma informação certa. Acho que a menina tem de se preparar para ter a 
primeira relação. Tem de ir ao ginecologista, ter uma conversa com a mãe 
ou com quem se sinta mais à vontade. Acho bacana ter um relacionamento aberto em casa. Sempre pude contar ou perguntar qualquer coisa.
KZK – Na sua última novela, você estava muito ligada ao universo infantil, cercada de crianças. Nessa, a beleza e conflitos da juventude 
estão em evidência. Essa mudança de perfil dos trabalhos já rendeu 
algum convite para fazer fotos mais sensuais?
Bruna – Não! Todas as minhas personagens acompanharam a minha 
idade. A Belezinha pode estar passando por uma situação delicada, mas 
tem a minha idade. Fui crescendo, e as minhas personagens também. 
Em relação a fotos sensuais, isso é mais para frente. Cada coisa tem seu 
tempo, mas não é algo que combine com minha personalidade. 
KZK – Quais são os cuidados de beleza que você está tendo para 
interpretar uma miss? 
Bruna – Dei uma intensificada na malhação e tentei manter uma alimentação legal, mas nada muito fora do que já fazia. Acho que não participaria de um concurso de beleza, pois sou muito vaidosa e acho difícil ser 
julgada. Me preocupo muito com a minha aparência. Eu sei que o carisma 
e tudo mais contam, mas não sei se participaria. 
KZK – Seu nome praticamente não aparece em sites e revistas de fofocas. Como você faz para conseguir preservar a vida pessoal diante 
de tanta exposição?
Bruna – Acho que depende muito de pessoa para pessoa, e eu sou tranquila. Nunca fiz nada para impedir que o meu nome aparecesse nesses 
sites. Nunca deixei de fazer nada que queria. Fico é feliz de não ter meu 
nome lá. (risos) Vira e mexe a gente escuta uma coisa que é mentira, 
mas é o mundo da mídia.
KZK – Você já declarou que não gosta de ficar com qualquer um, que 
prefere namorar. O que o cara tem que ter para conquistá-la? 
Bruna – Eu prefiro ter uma coisa séria. Acho que combina mais comigo. Tenho várias amigas que não querem compromisso. Acho legal ter 
alguém em quem eu confie e conte, mas não tenho nada contra ficar. 
Muito pelo contrário! Acho que faz parte da idade. Somos jovens e temos 
de conhecer as pessoas. Só acho que o romantismo desapareceu um 
pouco, e as coisas estão mais banalizadas. Antes, diziam que os homens 
eram muito cafajestes. Hoje, as meninas saem e ficam com vários. Não 
que seja errado. É a escolha de cada um, mas não combina comigo. Por 
mais que eu só fique e que não vá para nada mais sério, é uma pessoa 
que conheço e sei que é legal.


           

Nenhum comentário:

Postar um comentário